Soares de Camargo

Soares de Camargo

SOARES DE CAMARGO   TRONCO   Joaquim Pires, casado com Ana Soares da Conceição, filha de Bento José Soares e de Ana Tomásia do Nascimento, moradores de Atibaia (Bento José Soares  era filho de Francisco Soares de Lima e de sua primeira mulher Maria Cardoso de Oliveira, que se casaram em 1792 em Atibaia – Silva Leme, 8:315/316), foram pais de: 1 – Ana Soares de Camargo, casada com Antônio Raimundo de Oliveira, os quais cederam em 1887 a herança de Ana Soares da Conceição a Boaventura Soares de Camargo (1ºof. 76:49). 2 – José Soares de Camargo Pires e sua mulher Francisca Franco de Godoy Pires, que venderam em 1887 a Boaventura Soares de Camargo a herança de sua finada mãe e sogra Ana Soares da Conceição (1ºof. 76:47v). Já eram proprietário de imóveis em Amparo em 1876, quando … Continue...
Sousa Marques

Sousa Marques

SOUSA MARQUES   TRONCO  I I – Nicolau de Sousa Marques e sua mulher Fabiana Maria Teodora, também conhecida por Fabiana Teodora de Moraes, moradores de Amparo, hipotecaram a Antão de Paula Sousa um terreno e 3 cavalos, em 21/9/1864 (1°of.12:38). Em 10/9/1856 haviam dado procuração a Luís Antônio Alves Cordeiro para ir buscar uma herança, pertencente a eles por falecimento de seu tio José Floriano da Cunha, que residia na Freguesia de “Baçouras” (Vassouras), na Província do Rio de Janeiro (1ºof. 5:87v). Nicolau de Sousa Marques era carpinteiro e residia em 1873 no Bairro de Alferes Rodrigues (Almanak da Província de São Paulo para 1873, 424). Até agora descobrimos dois filhos desse casal: 1 – Estanislau, filho menor que faleceu em 1851.             2 – Miguel de Sousa Marques,casado em 1881 com Gertrudes Emília de Sousa, filha de João … Continue...
Silva

Silva

SILVA   TRONCO  I Fabiano Corrêa da Silva, provavelmente bragantino, e sua mulher Catarina Cardoso, casal que já morava em Amparo antes de 1829, foram pais de: 1 – Bento José da Silva, batizado na Capela do Amparo em 1828; casou em Amparo em 1848 com Josefa Maria de Siqueira, filha de Francisco Pires Garcia e de Manuela Nunes de Siqueira (está registrado em 1859 um segundo casamento deste Bento José da Silva com Cândida Maria de Jesus, filha de Pedro Joaquim Barbosa e de Gertrudes Maria de Jesus, no qual não se menciona sua necessária viuvez; talvez seja um lapso do oficiante); Bento e Josefa foram pais de: 1.1 – Florêncio, batizado em janeiro de 1852 e falecido nesse mesmo ano de 1852; 1.2 – Francisco, batizado em novembro de 1852, sendo padrinhos Francisco de Paula Néri e Maria … Continue...
Siqueira

Siqueira

SIQUEIRA   TRONCO  I I-   Isidora Maria de Siqueira, casada com Francisco Bueno de Godoy, foram moradores no “Sítio de Camanducaia”. Francisco Bueno vendeu em 1806 a Salvador Vieira Machado um sítio no Bairro Camanducaia, divisando com terras de Miguel Bueno de Camargo e de Domingos Antunes de Sousa (JAJ, 12). Isidora e Francisco foram pais de: 1 – Maria Bueno, solteira, madrinha do batizado de Salvador, filho de Manuel Barbosa e Ana de Siqueira. em 1/2/1798. Também foi padrinho no mesmo ato João de Siqueira de Alvarenga, solteiro, filho de Sebastião de Siqueira e de Rosa Lopes (BM-4) (Trata-se de um homônimo de João de Siqueira de Alvarenga, tronco dessa família, mas quase certamente era parente deste) 2 – Rosa, batizada em 8/11/1797 em Mogi-Mirim, sendo padrinhos Salvador de Toledo e sua mãe Maria Cardoso, todos moradores na … Continue...
Soares da Rocha

Soares da Rocha

SOARES DA ROCHA   TRONCO I   I – José Soares da Rocha, natural do Rio de Janeiro, filho de Serafim Soares da Rocha e Inácia Maria da Conceição, casado no Amparo em 1845 com Joaquina Maria da Silveira, natural de Bragança, filha de Vicente Bueno de Godoy e Maria da Silveira Franco, é o tronco amparense dos Soares da Rocha mais encontrado na documentação. Teve pelo menos um filho e uma filha: 1 – José, filho de João (deve ser um lapso do escriba) Soares da Rocha, neto de Vicente Bueno de Godoy, sepultado em Amparo, em 24/1/1850 (ADF, 5) 2 – Ana da Silveira Franco, batizada em 1850 e casada em 1866 com Inácio Antônio de Godoy; 3 – Joaquim, filho de José Soares da Rocha e de Joaquina da Silveira Franco, falecido em 1854 (ADF, 14v) 4 … Continue...
Sousa Melo

Sousa Melo

SOUSA MELO   TRONCO   I –  O Capitão Antônio de Sousa Melo, natural de Mogi das Cruzes, viúvo de Justiniana (ou Justina) Maria (esta filha do Capitão Roque de Sousa Freire e de Francisca das Chagas de Sousa), morador de Mogi Mirim em 1834,  casou em 1838 no oratório da fazenda de D. Gertrudes Maria Aranha de Camargo,  no Amparo, com Carolina Leopoldina Aranha, filha do Capitão Calixto José de Campos Bueno e de Maria Benedita de Vasconcelos Aranha, neta paterna do Capitão Francisco Xavier de Oliveira Bueno e de Ana Gertrudes Maria das Neves, neta materna do Tenente Francisco Barbosa de Vasconcelos e de Gertrudes Maria Aranha (Silva Leme, 1:376/377 – CA-2:27v). Ao que tudo indica, o Capitão Antônio de Sousa Melo era filho de Francisco de Sousa Melo e de sua segunda mulher  Eduarda Maria do Nascimento, … Continue...
Silva Barbosa

Silva Barbosa

SILVA BARBOSA   TRONCO  I I –  Joaquim Félix da Boaventura e sua mulher Beatriz Barbosa eram moradores de Mogi Mirim. Beatriz Barbosa possuia em 1818 terras no bairro Camanducaia, adquiridos de Antônio José (AAC/Rol-1818). Joaquim já era falecido em 1830, quando sua viúva foi madrinha de um neto. Jacinto e Beatriz  foram pais de: 1 – Joaquina, batizada em Mogi-Mirim em 1800 (BM-4:107v); 2 –  Joaquim Teles de (Menezes? deve ser o Joaquim Félix Boaventura, casado com Ana Joaquina de Jesus, pais de Bento Antônio da Silva, casado no Amparo em 1859 com Teodora Barbosa de Jesus, filha de Antônio Lopes da Silva e de Ana Marcelina Barbosa), batizado em Mogi Mirim em 1803 (BM-4:161); 3 – Antônio da Silva Barbosa, batizado em 1802 em Mogi Mirim,  foi casado com Joaquina Maria de Jesus, pais de: 3.1 – Inocêncio, … Continue...
Siqueira de Alvarenga

Siqueira de Alvarenga

SIQUEIRA DE ALVARENGA   Este é o título decisivo para explicar a explosão populacional do Amparo nas primeiras décadas do século XIX. Duas enormes famílias, ligadas umbelicalmente uma a outra, ambas extremamente prolíficas, deixaram as terras de Atibaia e Bragança e vieram para o Amparo, trazendo filhos e agregados e aqui se fixando. É esse o grupo que tanto impressionou Bernardino de Campos, a ponto de que este, esqucendo a contribuição de Mogi Mirim e de outros lugares, considerasse que o povoamento do Amparo se devera principalmente a lavradores de Bragança, Atibaia e Nazaré. Trata-se das famílias que descendiam de dois casais bragantino/atibaienses: o primeiro, João de Siqueira Alvarenga, falecido em 1807, casado com Maria Cardoso de Oliveira, ligou-se através de sucessivos casamentos aos descendentes de Inácio Pires Cardoso, falecido em 1799, que fora casado com Joana Mendes Pimentel. Os … Continue...
Soares de Siqueira

Soares de Siqueira

SOARES DE SIQUEIRA                           TRONCO I   I – Manuel Soares de Siqueira (Há um homônimo de Manuel Soares de Siqueira em SL, 9:43, 3-1, provavelmente tio deste) e Maria Gertrudes da Conceição, já falecida em 1851, casal que viveu em Nazaré e Piracaia, mas que teve um sítio no Moquem e cujos filhos se casaram em Amparo, teve: 1 –  Ana Jacinta Pinheiro, natural de Nazaré, casado em 1851 com José Antônio de Moraes, amparense, filho de José Antônio e Leonor de Moraes; 2 – Frutuoso Álvares de Moraes, natural de Santo Antônio da Cachoeira (Piracaia), casou no Amparo em 1849 com Gertrudes Maria da Rocha, amparense, filha de Gabriel Antônio da Rocha e de Policena Maria de Jesus. Pais de: 2.1 – Joaquim, batizado em 1850. 2.2 – Francisco, batizado em 1851. 2.3 – José, batizado em … Continue...
Sousa de Moraes

Sousa de Moraes

SOUSA DE MORAES        TRONCO  I   I –  Roque de Sousa de Moraes, casado em 1773 na então Freguesia de Jaguari, hoje Bragança Paulista, com Teresa Franco de Jesus, filho do capitão Lourenço Franco Bueno e de sua primeira mulher, Ana de Oliveira Horta (ou Dorta), foi importante figura em nossa região, na virada do século XVIII para o século XIX, ocupando cargos na Câmara Municipal de Bragança, onde foi vereador em 1799 e juiz ordinário em 1803, e deixando ilustre descendência. Faleceu em Serra Negra em 1821, de onde seus ossos foram transladados para Amparo em 1830 por seu filho Baltasar Franco Bueno. Sua mulher Teresa Franco de Jesus faleceu em Amparo em 1835. Teve, segundo Silva Leme, 7:204, oito filhos: 1 – João Batista de Moraes, falecido em 1822, casado com Joana Maria de Jesus, também … Continue...