Garcia Rodrigues

Garcia Rodrigues

GARCIA RODRIGUES   TRONCO  I   I –  Antônio Garcia Rodrigues e Delfina Maria de Jesus, moradores de Campinas, mas oriundos de Bragança, pais de: 1 – Bartolomeu Garcia Rodrigues, natural de Bragança, casou em 1848 no Amparo com Eleonor Maria de Jesus, filha de João Manuel Cardoso e de Joaquina Maria de Jesus; foram pais de: 1.1 – José, batizado no Amparo em 1851, sendo padrinhos Salvador Gonçalves de Lima e Maria Garcia Rodrigues (BA-5:66v) 2 – Feliciana Maria, madrinha de batizado em Amparo.
Gomes França

Gomes França

GOMES FRANÇA   TRONCO  I   I – João Gomes França e sua mulher Rufina Maria de Jesus, ou Rufina Maria de Sousa, a qual faleceu em 1852 no estado de viúva dele, era casal oriundo de Bragança. Foram pais de: 1- Joaquim Gomes Rodrigues, natural de Bragança,  casado no Amparo em 1851 com Gertrudes Maria das Dores, também bragantina, filha de Francisco Rodrigues e de Maria Evangelista. Tiveram: 1.1 – Maria, batizada no Amparo em 1852, sendo padrinhos Francisco Rodrigues Ferraz e Maria Evangelista (BA-5:108v) 2- José Gomes de Sousa, de Bragança, que casou no Amparo em 1869 com Maria Flávia Teresa de Oliveira, amparense, filha de Antônio Nunes Pinheiro e de Maria Joaquina de Jesus (CA-5:138v). José Gomes de Sousa, viúvo de Maria Teresa de Oliveira, casou no Amparo em 1873 com Maria Eufrosina de Oliveira, sua cunhada, … Continue...
Gonçalves de Lima

Gonçalves de Lima

GONÇALVES DE LIMA   I –      Salvador Francisco Gonçalves de Lima e Maria Gracêz do Espírito Santo foi um casal que morou no Amparo na metade do século XIX. Deve ser o mesmo Salvador Gonçalves de Lima que, junto com Maria Garcia Rodrigues, foi padrinho de batismo de José, batizado no Amparo em 1851, filho de Bartolomeu Garcia Rodrigues, natural de Bragança, e de Eleonor Maria de Jesus  (BA-5:66v). Salvador e sua mulher Maria Gracêz (ou Garcia) foram pais de: 1 – Francisco, batizado no Amparo em 1851, sendo padrinhos Benedito, escravo de João de Lima de Godoy, e Domingas Leite da Silva (BA-5:78v) 2 – Maria, batizada em 1843, sendo padrinhos Inácio Corrêa Franco e sua filha Gabriela Maria, casada (BA-4:32) NB – Há um assento de casamento de Salvador Gonçalves de Lima, filho de Manuel Gonçalves e … Continue...
Grossi

Grossi

GROSSI   Esta é uma família de origem italiana, que se tornou uma tradição no ramo de barbearia em Amparo, há mais de 80 anos. Brás Grossi, o Biá, barbeiro, casado com D. Joaquina Tinelli Grossi, teve os filhos: 1 – Francisco Wanderley Grossi, o Wander, também barbeiro, casado com D. Nair Ferreira Grossi, pais de: 1.1 – Sueli Aparecida Grossi; 1.2 – Silvana Grossi; 1.3 – Francisco Wanderley Grossi, também barbeiro; 1.4 – Sérgio Augusto Grossi. 2 – Marina, casada com Antônio dos Santos, sem geração. 3 – Josefina Grossi, casada com Fausto Miotta. 4 – Vera Grossi, casada com Ruy Silva, famoso cabelereiro, pais de 3 filhos. 5 – Marley, solteira. 6 – Arlete, solteira. 7 – Estela, casada com Rubens Sobral, com 2 filhos. 8 – José Geraldo Grossi, casado. 9 – Carlos Roberto Grossi, estabelecido com … Continue...
Godoy

Godoy

GODOY   TRONCOS   Uma das famílias mais numerosas do município, só perdem para os Oliveiras, os Godoys são também muito antigos. Já estavam aqui ao se erigir a Capela Curada. Não que se trate uma linhagem homogênea ou aristocrática; ao contrário, na sua maior parte, seus integrantes são gente de classe média, trabalhadores e pequenos comerciantes. Até mesmo alguns escravos libertos adotaram esse apelido de família. Mas alguns de seus ramos, como os Godoy Moreira, dominaram a política local e tiveram bastante prestígio social e poder, chegando a fundar a vizinha cidade de Pedreira, além de participarem de modo significativo da vida de Serra Negra, Lindóia, Monte Alegre do Sul e Itatiba. O berço, porém, dessa estirpe, fica em Atibaia e Bragança, de onde migraram para Amparo. Descendem todos todos do velho Baltasar de Godoy, um soldado espanhol que … Continue...
Gomes de Moraes

Gomes de Moraes

GOMES DE MORAES   TRONCO I   I – Ivo Gomes de Moraes, casado com Rosa Maria, gente de Bragança que passou a viver no Amparo na primeira metade do século XIX, pais de: 1 – Gertrudes, batizada em 1838. (BA-3:27v) 2 – André Pires de Lima, natural de Bragança, filho de Ivo Gomes de Moraes e de Rosa Maria de Jesus, casou em 1855 com Maria de Sousa, amparense, filha de José de Sousa de Moraes e de Cipriana Maria de Jesus. (CA-3:47) 3 – Inês Maria da Conceição, filha de Ivo Gomes de Moraes e de Rosa Maria de Jesus, casou no Amparo em 1859 com José Joaquim de Toledo, de Bragança, filho de Hermenegildo Antônio Fabiano do Couto e de Jacinta de Toledo.  (CA-3:92) 4 – Florêncio Gomes de Moraes, de Bragança, filho de Ivo Gomes de … Continue...
Gonçalves Lopes

Gonçalves Lopes

GONÇALVES LOPES   TRONCO I   I – Joana Gonçalves Lopes, casada com o Capitão Pedro José Ferreira,moradores em Mogi Mirim a princípio e depois no Amparo, são mencionados em Silva Leme, Genealogia, 2:72. O capitão foi figura destacada em Mogi Mirim, onde ocupou a presidência da Câmara Municipal de 1829 a 1834, tendo sido antes juiz ordinário em 1827. Foram pais de: 1 – Rosa Maria de Sousa, natural de Mogi Mirim, lá casada com João da Silveira Franco, natural de Atibaia, filho de Francisco da Silveira Franco e de Ana Gertrudes; 2 – Albina, batizada no Amparo em 1835; 3 – João, batizado no Amparo em 1836 pelo Vigário de Mogi Mirim Pe. Francisco Manoel Malaquias.
Guedes da Silva

Guedes da Silva

GUEDES DA SILVA   TRONCO  I   I –  José Guedes, proprietário de terras no Bairro Camanducaia antes de 1818,vendeu-as a Antônio José de Moraes. Deve ser o mesmo José Guedes da Silva, casado com Margarida Barbosa, que faleceu no Amparo em 1832 aos 60 anos de idade. Teve de Margarida Barbosa: 1 – Ricarda Maciel Barbosa, casada em 1833 com Francisco de Paula de Siqueira, viúvo de Ana Maria de Jesus.
Godoy Bueno

Godoy Bueno

GODOY BUENO   TRONCO   I   I – Desidério de Godoy Bueno, natural de Bragança, filho de Manoel Joaquim Cardoso e Ana Bueno de Oliveira, casado em Mogi Mirim em 1821 com Joana Maria de Oliveira, também natural de Bragança, filha de Daniel Ferreira das Neves e Isabel de Oliveira Cardoso. Joana faleceu no Amparo em 1830, provavelmente de parto, deixando pelo menos um filho, o qual pouco sobreviveu. Desidério voltou a se casar, em 1830, em Serra Negra (CSN-1:9v.) com Maria Bueno de Godoy (ou Maria de Godoy Bueno, como aparece em outros textos), viúva de Salvador Vieira Sardinha, sobrinha do Alferes Rafael de Godoy Bueno – Tronco III (S.L., 6:67, 6-2), com a qual teve outros filhos. Possuiu terras na “estrada que vai para Serra Negra”, as quais vendeu em 1842. Os filhos dele, que descobrimos, são: Da … Continue...
Gomes de Oliveira

Gomes de Oliveira

GOMES DE OLIVEIRA   TRONCO I   I – Francisco Gomes de Oliveira (também chamado de Francisco Gomes Ferreira), era filho de Florentino Gomes e Clara Lopes de Medeiros. Francisco se casou com Ricarda Maria de Oliveira, filha de Marcelino da Gama de Oliveira e de Catarina Ribeiro da Costa, gente de Atibaia mencionada por Silva Leme, em sua Genealogia, 8:309. Francisco e Ricarda tiveram oito filhos, entre os quais estão ligados a Amparo: 1.1 – José Mariano de Oliveira, casado em 1824 em Atibaia com Mariana Rosa de Oliveira, filha de Jacinto da Cunha de Macedo e de Joaquina de Oliveira (em SL, 2:322). Foram pais de: 1.1.1. – Maria Rosa de Oliveira, casada no Amparo em 1843 com seu tio Antônio Gomes de Oliveira. 1.1.2 – Joaquim Gomes de Oliveira, natural de Atibaia, filho de José Mariano de … Continue...