Luís de Sousa Leite

Luís de Sousa Leite

LUÍS DE SOUSA LEITE        Vereador eleito em 1873, com 109 votos, o Alferes, depois Coronel, Luís de Sousa Leite, depois Barão do Socorro e Comendador da Ordem da Rosa, foi prestigioso chefe conservador, que, em 1889 aderiu à república e renunciou ao título, passando a chefiar o Partido Repúblicano. Havia libertado seus escravos antes da Abolição e se tornara um ardente defensor da extinção da escravidão. (EFA, – EFA, 45, 57, 65,92, 93, 95, 96/97, 109,113)      Em agosto de 1874 estava em exercício do cargo de Delegado de Polícia, pelo que faltou ás sessões da Câmara. (Atas,3:223). Em 1875, como delegado, teve que enfrentar a rebelião dos “rasga-listas”, bando amotinado vindo de Minas Gerais, que ocupara Socorro e ameaçava Serra Negra e Amparo. Luís Leite conseguiu defender Serra Negra e, com reforços mandados pelo governo provincial, retomou … Continue...
Manuel Fernandes Palhares de Andrade

Manuel Fernandes Palhares de Andrade

MANUEL FERNANDES PALHARES DE ANDRADE        O fazendeiro Manuel Fernandes Palhares de Andrade (mencionado por Silva Leme, 9:85 nota), possuía terras no bairro da Cruz Coberta em 1856 (RPT,319), terras essas que ainda hoje são conhecidas pelo nome de “bairro do Palhares”. Ainda segundo Silva Leme, 4:91 nota, Manuel Fernandes Palhares teria participado do célebre combate de “Venda Grande”, nos arredores de Campinas, onde Caxias derrotou os rebeldes liberais em 1842. Também teria participado desse combate, ao lado dos liberais, Manuel Silvestre da Cunha Martins, de família amparense.      Nessa época Manuel Fernandes Palhares de Andrade residia certamente em Campinas, pois lá era vereador eleito em 1846. (Jolumá Brito, História da Cidade de Campinas, 17:142)   Manuel Fernandes Palhares de Andrade foi vereador na primeira legislatura da Câmara Municipal de Amparo, de 1857 a 1861. Assumiu a Presidência da … Continue...
Randolfo Margarido da Silva

Randolfo Margarido da Silva

RANDOLFO MARGARIDO DA SILVA        Foi necessária uma acurada pesquisa no jornal “Correio Paulistano” para obter informações sobre este vereador amparense, pois as fontes locais continuam inacessíveis, especialmente as obras do Museu Bernardino de Campos. Entretanto, trata-se de figura bastante importante, com muito destaque nas finanças e na vida social fora de Amparo.      O Dr. Ranfolpho Margarido da Silva nasceu no Rio de Janeiro a 16 de setembro de 1852. Cursou o Colégio D. Pedro II e formou-se em Medicina na Faculdade de Medicina da Bahia.      Era casado com Francisca Eugênia Ferraz da Silva, filha do Comendador Coronel José Pinto Ferraz e de Mafalda Carolina Pinto Ferraz.      Já morava em Amparo em 15/10/1880, quando foi nomeado capitão cirurgião-mor do Comando Superior da Guarda Nacional de Amparo e Bragança (Correio Paulistano).           Foi eleito vereador em … Continue...
Urbano de Azevedo

Urbano de Azevedo

URBANO DE AZEVEDO   O Coronel Urbano de Azevedo era filho de João Martins de Azevedo, segundo informa o Dr. Áureo de Almeida Camargo, em “O Cidadão Assis Prado”, 44. Era irmão de Ramos de Azevedo e de Alfredo de Azevedo. Silva Leme informa que ele era fazendeiro em Amparo e “vereador em São Paulo”.  Era casado com Sofia Soares de Azevedo, filha de Antônio Carlos de Almeida Bicudo e neta de José Libânio de Abreu Soares, também fazendeiros em Amparo. Sofia era sobrinha do célebre Coronel Bento Quirino, republicano histórico, figura ilustre de Campinas, onde foi presidente de diversas empresas, e sobrinha afim do vereador Joaquim Bernardino de Arruda; era irmã de Isolina Soares Sales, casada com o Dr. Pádua Sales. (Silva Leme, Genealogia, 8:505/506). Pelo seu casamento Urbano de Azevedo era concunhado também do Dr. Hermínio de Lemos, … Continue...