Corrêa de Lacerda

Corrêa de Lacerda

CORRÊA DE LACERDA   TRONCO I   I – Gabriel Corrêa de Lacerda, casado com Maria Pires, naturais de Mogi Mirim (Silva Leme menciona em sua Genealogia, 5:139, Gabriel Corrêa de Lacerda, casado em 1802 em Mogi Mirim, em primeiras núpcias, com Maria Antônia de Siqueira, filha de Constantino Dias Delgado e Maria Madalena da Conceição; em segundas núpcias, Gabriel teria casado em 1807 com Maria Pais, filha de Miguel Dias de Freitas e de Ana Barbosa (a diferença de sobrenomes da segunda esposa não é significativa, pois pode decorrer de um simples erro de leitura paleográfica, já que a letra do padre Safino não era das mais fáceis…). Gabriel pertencia a uma das mais tradicionais famílias daquela cidade, pois era filho de André Corrêa de Lacerda, que lá foi Vereador e Juiz Ordinário, e de sua primeira mulher Maria … Continue...
Cunha Claro

Cunha Claro

CUNHA CLARO   TRONCO  I   Silvestre da Cunha Claro, casado com  Ana Joaquina Cardoso, filha de Francisco Xavier dos Passos e de sua primeira mulher, Clara Maria de Oliveira. Silva Leme, 1:111, menciona apenas  “Ana, filha de 6-1, casada com Silvestre da Cunha”. Silvestre da Cunha Claro era dono em 1856 de um sítio de 300 alqueires no bairro do Cascalho, confrontando com o rio Camanducaia, Luís Antônio Aranha, Manuel Domingues, João Francisco, “a estrada que vai para Mogi”, Martinho Lopes, Maria Francisca, Joaquim Mariano Galvão, Manuel Rodrigues, José Carlos Barbosa e outros, adquirido por herança de seus sogros Francisco Xavier dos Passos e Clara Maria Cardoso (RPT, 331/332). Silvestre era irmão de Francisco Antônio da Cunha Claro, também genro de Francisco Xavier dos Passos, e de Antônio Pires de Godoy Jorge e também de Josefa Maria da Conceição … Continue...
Cardoso de Moraes

Cardoso de Moraes

CARDOSO DE MORAES        TRONCO I   I – Maria Cardoso de Moraes, filha de Manuel Munhoz de Siqueira e de Isabel Pires Monteiro, casada com Salvador de Toledo Piza, foram moradores na Ressaca, onde formaram o sítio “Mato Dentro”. Em 1806, Maria Cardoso de Moraes, já viúva, doou parte desse sítio a seu genro Lourenço de Toledo Bueno. Maria e Salvador tiveram quatro filhos descritos em Silva Leme (5:138 e 7:90), aos quais acrescentamos mais dois, encontrados nos assentos de batismo de Mogi Mirim: : 1 – Isabel Pires Monteiro, casada em 1798 em Mogi Mirim com seu parente Lourenço de Toledo Bueno, filho de Salvador Jorge da Silva e de Rita Margarida Angélica; 2 – Maria Bueno de Toledo, casada em 1798 com José Dias de Freitas, filho de Miguel Dias de Freitas e de Ana Barbosa … Continue...
Corrêa Lima

Corrêa Lima

CORRÊA LIMA   TRONCO  GERAL   É família muito antiga no Amparo. Francisco Corrêa de Lima tinha terras na Boa Vereda em 1818, havidas por compra a Pedro Benito. Mas ainda não foi possível estabelecer ligação entre ele e os demais portadores do sobrenome Corrêa de Lima. Além disso, logo surge um caso de homonimia muito difícil de ser esclarecido: dois José Corrêa de Lima, aparentados; um casado com Ricarda Maria de Godoy, irmã de Teresa Maria de Godoy; o outro, casado com Inês Maria. Não há por enquanto pistas para saber qual o parentesco entre eles.   TRONCO  I   I – José Corrêa de Lima, casado com Ricarda Maria de Godoy, irmã de Teresa Maria de Godoy (Ricarda tinha uma filha, talvez de casamento anterior, chamada Gertrudes, solteira, mãe de Boaventura, batizado no Amparo em 1834). José Corrêa … Continue...
Cunha Franco

Cunha Franco

CUNHA FRANCO   TRONCO  I   I-   João Mariano Batista, casado com Ana da Cunha Franco, moradores de São João (provavelmente Atibaia, mas pode ser a atual Joanópolis), pais de : 1 – Antônio da Cunha Prado, casado no Amparo em 1829 com Maria de Godoy Bueno, filha de Manoel Joaquim Cardoso e Ana Bueno de Oliveira; Maria de Godoy Bueno faleceu aos 23 anos, em 31/12/1839 (OA-3;12). Foram pais de: 1.1 – Escolástica, batizada no Amparo em 1833; 1.2 – Gertrudes, batizada no Amparo em 1834; 1.3 – Rosa, mencionada em 1856, batizada em 1838  (RPT, 45 – BA-3:28v) 1.4 – José, batizado em 1837 (BA-2:78v)   TRONCO II   Modesto Antônio, filho de Antônio de Godoy Moreira e de sua mulher Marinha Isbela, casou em Atibaia em 1815 com Gertrudes Maria Franco, filha de Pantaleão Pedroso da Cunha … Continue...
Cardoso de Oliveira

Cardoso de Oliveira

CARDOSO DE OLIVEIRA   TRONCO  I   I –  Cardoso de Oliveira é, por enquanto, uma das famílias mais difíceis de serem estudadas na genealogia amparense. Não apenas o sobrenome se inverte em alguns documentos, passando a Oliveira Cardoso, como, embora haja evidente parentesco entre seus diversos membros, não tem sido possível esclarecer qual o grau desse relacionamento. Além disso, vários deles se casaram mais de uma vez, em especial com mulheres da família Pires de Ávila. O ramo mais isolado e mais simples é que se inicia com Gabriel Cardoso de Oliveira, filho de José Cardoso de Oliveira e de Maria Santana de Jesus, que casou em 1829 no Amparo com Escolástica de Oliveira, filha de José Francisco de Oliveira e de Francisca Maria Cardoso (veja OLIVEIRA, Tronco II). Sobre Gabriel sabemos além disso que era cunhado de Leonardo … Continue...
Corrêa Luís

Corrêa Luís

CORRÊA LUÍS   TRONCO  I   I – Joaquim Corrêa Luís, casado com Gertrudes Maria de Oliveira (este casal talvez tenha vindo do bairro dos Macucos, hoje Itapira, onde existia uma família Ferreira Luís), foram pais de : 1 – Jesuíno, batizado no Amparo em 1836; 2 – Maria de Oliveira, amparense, casada em 1845 no Amparo com Adão Barbosa, natural de Mogi-Mirim, filho de Antônio Barbosa e Paula Maria. 3 – José Corrêa Luís, natural de Mogi Mirim, casou no Amparo em 1847 com Maria Antônia, filha de Jacinto Rodrigues e de Maria Antônia. Pais de: 3.1 – Marcelina, batizada em 1852, sendo padrinhos João da Cunha Machado e Ana Gertrudes de Jesus (BA-5:85) 3.2 – Ana, batizada em 1853 (BA-5:133)
Cunha de Macedo

Cunha de Macedo

CUNHA DE MACEDO   TRONCO I   1 –  A família CUNHA DE MACEDO tem sua origem no Vale do Paraíba, em Mogi das Cruzes, com o casamento de Natária da Cunha e Francisco Martins de Macedo, moradores de Mogi das Cruzes (é descrita em Silva Leme,5:59/62. e também em 1:94). De Mogi das Cruzes seus descendentes passaram para Guarulhos e Nazaré, acabando por alcançar Mogi Mirim e Serra Negra. João da Cunha de Macedo, casado com Plácida Maria, primeiro casal dessa família em Serra Negra, teve 7 filhos. Mas João da Cunha de Macedo, também foi casado depois com Ana Francisca, de quem teve Manuela, batizada na Capela do Amparo em 1/11/1828, pelo Padre Francisco Figueira de Assunção, sendo padrinhos Antônio de Oliveira Franco e sua mulher Isabel da Silveira Franco. Foi o primeiro batizado nessa capela, origem da … Continue...
Carvalho

Carvalho

CARVALHO                           TRONCO I   I – Manoel José de Carvalho, casado com Gertrudes Maria de Morais, é o casal que constitui o tronco da família Carvalho em Amparo. Ele foi encontrado morto na “estrada do Cascalho (Cascalho hoje é Pedreira), no mato perto do caminho e perto desta capela, o corpo… já corrompido, sem sinal de ofensa”, em 1835. Foram pais de: 1 – Maria, batizada no Amparo em 1834; 2 – Luís Antônio de Carvalho, natural de Nazaré, casado no Amparo em 1835 com Maria Gertrudes de Lima, natural de Bragança, filha de Manoel de Miranda e Cândida Maria Pereira. Luís Antônio de Carvalho, viúvo de Maria Gertrudes de Lima, casou no Amparo em 1856 com Maria Joaquina de Jesus, filha de Miguel Antônio de Camargo e de Delfina Maria de Jesus. Luís Antônio de Carvalho também … Continue...
Corrêa Marinho

Corrêa Marinho

CORRÊA MARINHO   TRONCO   Antônio Corrêa Marinho e de Caetana Marinho foram pais de: 1 – Rosa Marinho Fernandes, casado com Antônio Fernandes, faleceu aos 43 anos em Casa Branca, onde residia. Pais de: 1.1 – Darcy, 1.2 – Aurora 1.3 – Dirce, 1.4 – Cinira, 1.5 – Clarice 1.6 – Antônio Marinho Fernandes. 2 – Antônio Marinho 3 – Otávio Marinho, 4 – José Marinho, 5 – Vítor Marinho 6 – Deolinda Marinho Russo, todos residentes em Amparo.