Corrêa de Sousa

Corrêa de Sousa

CORRÊA DE SOUSA   TRONCO   I – João Corrêa de Sousa e de Maria Joaquina, um dos muitos casais campineiros que deixaram descendentes em Amparo, tiveram 1 -Joana Maria de Sousa, de Campinas, que casou no Amparo em 1861 com Claudino Dias, filho de Maria de Jesus. (CA-5:13v) 2 – Querubina Maria de Sousa, de Campinas, que casou no Amparo em 1867 com Antônio Luís de Siqueira,  também de Campinas, filho de Pedro Antônio de Siqueira e de Maria Rita.   (CA-5:114v)
Campos Bueno

Campos Bueno

CAMPOS BUENO   TRONCO I I – O Capitão Calixto José de Campos Bueno foi casado em 1812 em Atibaia com Maria Benedita Barbosa Aranha, filha de Gertrudes Maria Aranha (era filha do sargento-mor Francisco Aranha Barreto, governador da praça de Santos, comandante da praça de Iguatemi, um dos mais prestigiados militares da capitania de S.Paulo, e de sua mulher Mônica de Camargo). casada em Atibaia em 1794 com o tenente, depois sargento-mor Francisco Barbosa de Vasconcelos, falecido em Amparo em 1829 (SL, 1:376 e 7:489 – OA-1:4v), filho do capitão Antônio Barbosa de Lima e Apolônia Maria do Pilar e Vasconcelos. O Capitão Calixto, falecido em 1835 com 51 anos, era filho do capitão Francisco Xavier de Oliveira Bueno e de Ana Gertrudes Maria das Neves (SL, 1:376). Calixto e Maria Benedita tiveram vasta descendência descrita no título ARANHA. … Continue...
Cordeiro

Cordeiro

CORDEIRO   TRONCO  I I-   José Joaquim Cordeiro, natural de Atibaia, casado com Ana Alves (também Ana Maria Alves), são os mais antigos dessa família encontrados no Amparo. Aqui batizaram um filho em 1830. Provavelmente eram parentes dos ilustres Alves Cordeiro, ancestrais do saudoso presidente do Instituto Histórico e Geográfico de S.Paulo Dr. José Pedro Leite Cordeiro, cujos ascendentes também residiram no Amparo. José Joaquim faleceu no Amparo em 1843, aos 60 anos, vítima de “estupor”. José Joaquim e Ana deixaram: 1 – Feliciano, batizado em 1830; 2 – Maria Madalena, casada no Amparo em 1841 com José Luís de Camargo, filho de José do Prado de Camargo e Isabel Maria de Camargo; tiveram: 2.1 – José, batizado em 1843 (BA-4:38) 3 – José, batizado em 1835.   TRONCO II II –      Major Antônio José Alves Cordeiro, morador de … Continue...
Costa

Costa

COSTA   TRONCO I   I – Antônio Luís da Costa, casado com Gertrudes Maria de Godoy, casal que viveu pelo menos algum tempo em Mogi das Cruzes, mas que depois migrou para nossa região, foi proprietário de terras no bairro Camanducaia, as quais vendeu a Cristóvão Xavier do Prado em 1809 e 1812. Antônio Luís, entretanto, permaneceu no Amparo, onde faleceu em 1834 aos 90 anos. Antônio Luís e Gertrudes, foram pais de: 1 – José, batizado em Mogi Mirim em 1801; 2 – Josefa, batizada em 1807 em Mogi-Mirim (BM-5:31) 3 – Ana Maria da Conceição, nascida em Mogi das Cruzes, casada em 1827 em Mogi- Mirim com João Leme de Arruda, natural de Mogi-Mirim, filho de José Taques de Almeida e de Francisca Leme. 4 – Joaquim, batizado em Mogi-Mirim em 1810 (BM-5:80v)   TRONCO  II   … Continue...
Campos Sales

Campos Sales

CAMPOS SALES   I – Estanislau de Campos Sales (tio de Manuel de Campos Sales, Presidente da República), filho do alferes José de Sales Leme (este filho de Antônio José de Matos e de Ana Custódia) e de Maria Euquéria de Camargo, (esta filha de João Leite de Camargo Penteado e Isabel de Camargo), casou no Amparo em 1853 com Maria Perpétua de Oliveira, filha de Antônio Joaquim de Oliveira Prestes e de Maria Perpétua de Oliveira. Foram pais de: 1 – Dr. Antônio de Pádua Sales, político paulista, membro do Partido Republicano Paulista, presidente  da câmara dos deputados de São Paulo em 1902, casado com Isolina Soares, filha de José Libânio de Abreu Soares, fazendeiro no Amparo, e Custódia dos Santos, neta materna de Joaquim Quirino dos Santos e de Manuela de Oliveira. 2 – José Augusto de Oliveira … Continue...
Cordeiro do Amaral

Cordeiro do Amaral

CORDEIRO DO AMARAL   TRONCO  I   I – Francisco Cordeiro do Amaral, casado com Isabel Ortiz da Conceição (não conseguimos ainda estabelecer ligação entre este casal e os demais portadores do mesmo sobrenome), pais de: 1 – Joaquim, batizado no Amparo em 1830; 2 – Ana, batizada no Amparo em 1831 3 – Francisco, batizado no Amparo em 1834 4 – João, batizado no Amparo em 1836;   TRONCO II Veja GODOY SIQUEIRA – descendentes de Salvador Cordeiro do Amaral.   TRONCO III Veja CAMARGO PIMENTEL – descendentes de Salvador Cordeiro do Amaral
Costa Bispo

Costa Bispo

COSTA BISPO   TRONCO  I Os irmãos Francisco da Costa Bispo e Antônio da Costa Bispo residiram no Amparo na segunda metade do século XIX. 1 – Francisco da Costa Bispo, de Campinas, viúvo de Rita Herculina de Castro, casou no  Amparo em 1866 com Ubaldina Carolina Ferreira, também de Campinas, filha de  Gabriel Leite da Cunha e Carolina Maria Ferreira (CA-7:87). Enviuvando desta segunda mulher, casou-se a terceira vez com Inôcencia Leite da Cunha, filha de José Leite de Sousa e de Jesuína Gonçalves de Abreu, e irmã do Coronel Luís Leite; Inocência era viúva de José Ferreira da Cunha (Silva Leme, 5:88 – CA-7:83v). Francisco da Costa Bispo teve pelo menos os filhos (ignora-se de qual esposa); 1.1 – Floriano da Costa Bispo. 1.2 – Alberto (Indicador Pessoal, 8-C:4) 2 – Antônio da Costa Bispo, irmão de Francisco, … Continue...
Corrêa

Corrêa

CORRÊA   TRONCO I   I –  Pedro Antônio Corrêa e Maria do Carmo, casal de Campinas, mas que viveu também em Piracaia (antiga Santo Antônio da Cachoeira) e que migrou para Amparo, teve: 1 – Ana Maria do Espírito Santo, que casou em 865 com José Luís de Godoy, viúvo de Lina Maria de Jesus, sepultada em Amparo.  (CA-5:66) 2 – Ana Margarida, natural de Campinas, filha de Pedro Antônio Corrêa e de Maria do Carmo, casou no Amparo em 1869 com Benedito Pedroso, natural de Mogi-Mirim, filho de Isabel Pedrosa (CA-6:2v) 3 – Joaquim Pedro Antônio Corrêa, natural de Santo Antônio da Cachoeira, filho de Pedro Antônio Corrêa e de Maria Francisca da Silva (talvez seja a própria Maria do Carmo, mas pode também ser uma primeira esposa de Pedro Antônio), casou no Amparo em 1871 com Francisca … Continue...
Costa Machado

Costa Machado

COSTA MACHADO   TRONCO  GERAL O Sargento-mor Domingos da Costa Machado, filho de Maria Barbosa do Rego e de seu segundo marido Tenente Domingos da Costa Machado, foi casado três vezes:  a primeira em 1795 com Manuela de Camargo Penteado, a segunda com Maria da Anunciação Camargo e a terceira com Ana Cândida de Campos, esta filha do Capitão Inácio Caetano Leme (SL, 3:15). Domingos da Costa Machado foi dono de uma grande propriedade entre os rios Jaguari e Atibaia, região que hoje abrange parte os municípios de Americana, Nova Odessa e Sumaré. Em 1823 houve uma questão sobre a estrada que ligava Campinas à vila da Constituição, hoje Piracicaba, na qual Domingos prestou depoimento, declarando ter 45 anos idade, “vivendo de fazer açúcar”. (Jolumá Brito, História da Cidade de Campinas, 18:98) Alguns dos filhos do sargento-mor Domingos se ligaram … Continue...